quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

TIPOS DE VOZ

TIPOS DE VOZ 

A voz nunca deve ser avaliada isoladamente. Devemos considerar também os fatores hereditários, de saúde geral, natureza psicológica, nível socioeconômico e cultural do indivíduo.
 
VOZ ROUCA: é a manisfestação vocal mais comum, de qualidade ruidosa, indica irregularidade de vibração das pregas vocais. A frequência e a intensidade estão diminuidas. Geralmente está relacionada a lesões orgânicas e quadros organofuncionais, como vasodilatação, edema, presença de massa de característica flácida, como nódulos ou pólipos. Voz típica das gripes.

VOZ ÁSPERA: o que chama mais atenção nesta voz é a característica desagradável da emissão. O esforço para falar é visível e existem ataques vocais bruscos. Voz típica de rigidez da mucosa, como nas leucoplasisas, retrações cicatriciais. Existe pouca mucosa à vibração. Pela situação de rigidez, a frequência fundamental é aguda.

VOZ SOPROSA: presença de ar não sonorizado, ruido à fonação. A falta de coaptação das pregas vocais mostra o fluxo contínuo de ar passando pela glote. É típica de intensidade baixa  e frequência grave, mas é compensada com o esforço para reduzir o escape de ar, portanto podemos encontrar forte intensidade. Apresenta-se em quadros de fadiga vocal, disfonias hipocinéticas, paralisíade, prega vocal, entre outros.

VOZ SUSSURRADA: é o extremo da voz soprosa, pela qual nenhuma parte do ar é modulada pela glote. Podemos observar presença de fenda paralela. Mucosa rígida.

VOZ FLUIDA: é um estágio intermediário entre a voz neutra e soprosa. Auditivamente, percebemos uma emissão agradável, com frequência fundamental grave, laringe baixa e amplo movimento de mucosa.  Voz de locução comercial, é encontrada em edema de mucosa.

VOZ GUTURAL: emissão tensa com abafamento de harmônicos, predomínio da ressonância latingofaríngea.

VOZ COMPRIMIDA: contração exagerada que pode envolver vestíbulo laríngeo anteroposterior. A vibração da mucosa é pouco extensa, ataques vocais bruscos estão presentes, alto índice de pressão subglótica. 

VOZ TENSA ESTRANGULADA: pouca quantidade de ar transglótico, quebra de frequência e sonoridade, tensão de todo o trato vocal. A incoordenação pneunofonoarticulatória é evidente.

VOZ BITONAL: caracterizada por dois diferentes sons, com frequência , intensidade e qualidade vocal diversas. Desnivelamento das pregas vocais no plano horizontal, ou de diferença de tensão, massa ou tamanho.

VOZ DIPLOFÔNICA: semelhante à voz bitonal, porém sem desnivelamento das pregas vocais.

VOZ POLIFÔNICA: irregularidade na qualidade vocal, encontra-se rouquidão soprosidade, aspereza, com compromentimento severo na fonte glótica.

VOZ MONÓTONA: caracterizada pela monoaultura, monointensidade, associada a gama tonal, inflexões e tessitura diminuida.

VOZ TREMULA: variações acentuadas de frequencia fundamental, produzindo sensação de instabilidade à emissão.

VOZ PASTOSA: diminuição da ressonância orofaríngea, como se o paciente tivesse uma batata na boca.

VOZ BRANCA OU DESTIMBRADA: diminuição das características melódicas, voz com poucos harmônicos, tom grave e gama tonal restrita. Características de timidez e introversão.

VOZ CREPITANTE: caracterizada por tom grave, pequena intensidade, grande aperiodicidade, e alringe com pregas vocais grossas e encurtadas.

VOZ INFANTILIZADA: tom agudo, elevação da laringe, anteriorização da língua, articulação distorcida.

VOZ FEMINILIZADA: apresenta um tom agudo superior à faixa masculina (entre 149 e 150 hz) e, na tessitura feminina, acima de 150 hz.

VOZ VIRILIZADA: apresenta tom grave, é encontrada em mulheres com grande edemas de prega vocal.

VOZ PRESBIFÔNICA: falta sustentação de frequência, intensidade e qualidade de emissão. Observada em indivíduos idosos, sendo mais comum no sexo masculino.

VOZ HIPERNASAL: uso excessivo da cavidade nasal, também chamado de rinolalia aberta, a produção glótica é normal, neste caso o som é modificado na cavidade de ressonância. Típico de fissuras labiopalatinas.

VOZ HIPONASAL: diminuição do componente nasal, normalmente esperado na fala. Os pacientes com essa característica tendem a substituir as consoantes M - N - NH  por B - D - G ,como quando estamos resfriados. Também chamando de rinolalia fechada. Voz com qualidade abafada e sem riqueza de harmônicos.

VOZ NASAL MISTA: qualidade vocal resultante de insuficiência velar, associada à obstrução nasal.



Informou: marcosmoreno_1984@hotmail.com

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Revisão de Texto

REVISÃO DE TEXTO CONSULTORIA ORIENTAÇÃO REDAÇÃO


Aprendizagem Novo Acordo Ortográfico Cultural Vírgula Teoria Crase Ponto e Vírgula Técnica Foto Aspas C, Ç ou SS Maiúscula Estilo Lousa Idioma Minúscula S ou Z Acento Cabeçalho Til Circunflexo Trema Redação Estilística Coesão Dois Pontos Coerência Objetividade Tese Singular Sinônimo Resenha Gramática Lei Dissertação Autor Escrita Acompanhamento Monografia Significado TGI Ensino Prolixidade Trabalho de Conclusão de Curso Ideia Norma Técnica Figura Computador Tabela Número Preço Justo Fotografia Junto Arquivo Ensinar Texto Margem Formatação Nota de Rodapé Correção Separado Pronome Revisor Página Particípio Poema Graduando Pretérito Portugal Falso Cognato Paginação Compromisso Futuro Português Repetição Gerúndio Língua Organização Tradução Antônimo Corte Preparação Arcaísmo Plural Cartão Verbo Signo Adjetivo Qualidade Brasil Norma Ortografia Escola Exemplo Ortográfica Prova Gramatical Síntese Criar Flexão Verbal Corretor Resumo Exame Parágrafo CNPq Oração Indicativo Metáfora Europeu Frase Imagem Criação TCC Quadro Gênero Flexão Nominal Classe Palavra Tipo Copidesque Leitura Cronograma Poesia Redação Graduação Prosa Narrativa Universidade Descritiva Narração Espaço Lauda Descrição Consultoria Mais Que Perfeito Redator Paciência Sufixo Música Escritor Brasileiro ABNT Teatro Revisão CAPES Pesquisa Adjetivação Redundância Infinitivo Gráfico Infixo Acervo Passado Subjuntivo Educação Resposta Presente Exatidão Estudante Aula Imperfeito Acurácia Estrutura Método Imperativo Universitário Luso Reduzir Americano Artigo Empírico Gerundismo Substantivo Diagramação Professor Prazo Resumir Consenso Doutor Experiência Trabalho Proveito Titular Limpeza Cuidado Detalhismo Mestre Profissional Vogal Poético USP Garantia Questão Acerto Revista Nacional Sabedoria Novo Internacional Adequação Clareza Prefixo Orientação Dígrafo Melhorar Termo Gíria FAPESP X ou Ch Expressão Rigor Sentença Linguagem Impressão Dicionário Ensino Investimento Vocabulário Livro Léxico Rapidez Fonema Aluno MEC Tempo Filologia Erro Consoante Propaganda Linguística Acentuação Tela Paragrafação Ordenação Detalhe Regular Cartaz Sucesso Periódico Carta Pós-Graduação Igual Rascunho Etiqueta Versão Envelope Ofício Reprográfica Reescrever Memorando Relatório Cópia Digitação Reprografia Mensagem Irregular Rótulo Embalagem Vocábulo Aumentar Publicidade Direito Neologismo Chavão Propriedade Senso X ou Z Bula Jargão Morfema Conhecimento Cor Hífen Apoio Cultura Enredo Resultado

joralimaTEXTO Jorge Alves de Lima [bacharel e licenciado – USP]

joralima@usp.br joralima@gmail.com skype joralima

celular (11) 9830 1678 [Vivo] MSN joralima twitter joralima

blogue http://joralimatexto.blogspot.com

Filipenses 4:8

Revisão de Texto


R REVISÃO DE TEXTO ± CONSULTORIA ORIENTAÇÃO REDAÇÃO 


Aprendizagem Novo Acordo Ortográfico Currículo Lattes Vírgula Teoria Crase Ponto e Vírgula Técnica Foto Aspas C Ç ou SS Maiúscula Estilo Lousa Idioma Minúscula S ou Z Acento Cabeçalho Til Circunflexo Trema Redação Estilística Coesão Dois Pontos Coerência Objetividade Tese Singular Sinônimo Resenha Gramática Lei Dissertação Autor Escrita Acompanhamento Monografia Significado TGI Ensino Prolixidade Trabalho de Conclusão de Curso Ideia Norma Técnica Figura Computador Tabela Número Preço Justo Fotografia Junto Arquivo Ensinar Texto Margem Formatação Nota de Rodapé Correção Separado Pronome Revisor Página Particípio Poema Graduando Pretérito Portugal Falso Cognato Paginação Compromisso Futuro Português Repetição Gerúndio Língua Organização Tradução Antônimo Corte Preparação Arcaísmo Plural Cartão Verbo Signo Adjetivo Qualidade Brasil Norma Ortografia Escola Exemplo Chavão Prova Gramatical Síntese Criar Flexão Verbal Corretor Resumo Exame Parágrafo CNPq Oração Indicativo Metáfora Europeu Frase Imagem Criação TCC Quadro Gênero Flexão Nominal Classe Palavra Tipo Copidesque Leitura Cronograma Poesia Redação Graduação Prosa Narrativa Universidade Descritiva Narração Espaço Lauda Descrição Consultoria Mais Que Perfeito Redator Paciência Sufixo Música Escritor Brasileiro ABNT Teatro Revisão CAPES Pesquisa Adjetivação Redundância Infinitivo Gráfico Infixo Acervo Passado Subjuntivo Educação Resposta Presente Exatidão Estudante Aula Imperfeito Acurácia Estrutura Método Imperativo Universitário Luso Reduzir Americano Artigo Empírico Gerundismo Substantivo Diagramação Professor Prazo Resumir Consenso Doutor Experiência Trabalho Proveito Titular Limpeza Cuidado Detalhismo Mestre Profissional Vogal Hífen USP Garantia Questão Acerto Apoio Sabedoria Novo Internacional Adequação Clareza Prefixo Orientação Dígrafo Melhorar Termo Gíria FAPESP X ou Ch Enredo Revista Expressão Rigor Sentença Linguagem Impressão Dicionário Ensino Investimento Vocabulário Livro Léxico Rapidez Fonema Aluno MEC Tempo Filologia Erro Consoante Propaganda Linguística Acentuação Tela Paragrafação Ordenação Detalhe Regular Cartaz Sucesso Periódico Carta Pós-Graduação Igual Rascunho Etiqueta Versão Envelope Ofício Reprográfica Reescrever Memorando Relatório Cópia Digitação Reprografia Mensagem Irregular Antigo Sistema Rótulo Embalagem Vocábulo Senso Publicidade Direito Neologismo Conhecimento X ou Z Bula Jargão Morfema Cultura Cartão de Visita Resultado Ò  Revisão de Texto


 joralimaTEXTO Jorge Alves de Lima  [bacharel e licenciado – USP]


joralima@usp.br
joralima@gmail.com
skype Ò joralima
MSNÒ joralima
twitter Ò joralima
blogue Ò http://joralimatexto.blogspot.com           
celular Ò (11) 9830 1678 [Vivo]
Filipenses 4:8